ESCLARECENDO

Pretendo postar pensamentos, crônicas, musicas e poesias; refazendo em miniatura o universo que absorvo a cada experiência no centro desse infinito, que pode eternizar ou banalizar a idéia toda. Esse espaço tem apelo confessional-autoral e poderá na melhor das hipóteses virar um elixir que maltrata a alma em goles de satisfação. Por vezes será mais sincero que a verdade, instintivo, quase irracional, como o lampejo de fé de um ateu antes de seu mundo desmoronar, o beijo roubado, a compaixão do assassino com a sua vítima segundos antes de matá-la e por vezes será pragmático e crítico, afinal precisamos da dose certa de veneno pra sobreviver. Lembrando que a causa maior de estar aqui é porque no princípio a filosofia era uma besteira, e as grandes besteiras consideradas a filosofia a ser seguida; então quando reijeitarem suas idéias, mantenhas a salvo, pois no futuro podem ser o único meio de outros seres perceberem que a razão da humanidade não passou de um grande mito.

domingo, 12 de outubro de 2014

Crônico Sistema

     
      Desde a derrota da Fronte Indomável que lutava contra a sistematização comportamental imposta nebulosa e sutilmente por crescentes vínculos de poderosos nas praças, parques, praias exacerbaram-se formas de vigilância utilizando a torpe evasiva de proteger os indivíduos, mas de fato elas serviam como alcova dos focos de rompimento com o Status Quo. Assim enquanto devoravam-se os gritos de terror de quem estimulava refletir libertinamente, a vigente ditadura da maioria manipulada condecorava a estupidez de fantoches descartáveis tão escrotos que até o próprio excremento agonizava transitando pelos seus corpos; e os prodígios, borboletas lindas num temporal tropical, oportunidade exígua de abandonar o cais onde brumas sempre rimaram atuais tiveram.
     Tiranos disfarçados de bem-feitores mal-amados anularam os vetores capazes de amparar a verve necessária pra construir sobre a realidade do demolir, amordaçando de maneira acidental sob a relva do planeta onde fatalidades sucediam como se fossem armação um por um dos que recalcitraram em a brasa do inferno num cinzeiro apagar mirando alto na fossa funda pra tragar o lúgubre que a aura circunda e energia iluminada transmutar. As Quimeras dardejaram contra possíveis fagulhas de rebelião, tornando profano, baluartes do bem.
     O Homo Sapiens Sapiens posteriormente sofreu colateral processo de deformação, porque a leniente rotina da burguesia religiosa carnívora os deixou tão alienados que num decadente raiar de Sol, onde até os pássaros espantados fizeram concílio de silêncio, todos ao saírem para trabalhar se refletiram iguais! Narizes, bocas, olhos, cabelos, roupas, expressões, vozes, com a evidente separação entre macho e fêmea, mas morfológica e fisiologicamente idênticos. Assustador? Jamais para aqueles que se curvaram ao programa de homogeneização genética global, na qual os alelos dominantes confirmaram-se implacáveis após o decreto de Concepção Laboratorial ser instituído, atalho definitivamente absurdo para resolver conflitos étnicos primitivos de bípedes que de remotas épocas já andavam em rodinhas de cabecinhas pensantes na mesma direção fosse ela para o abismo ou evolução, exaltando a mesmice e julgando por crimes inconfessados o incomum. Ignorantes nem percebiam que ninguém consegue tomar mesmo rumo incessantemente, dessa maneira, de repente ou por ser imigrante, de outra cor, credo, agremiação, e até por ser semelhante demais, você seria deslocado para fora do grupo. Com isso o jardim floriu enfadonhamente pardo, mas as sanguessugas escondidas na névoa circundando o topo da pirâmide não estavam nem aí, afinal nem estavam ali. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário